Organização Gongombira de Cultura e Cidadania, em Ilhéus, abre inscrições para as oficinas gratuitas

Julho 19, 2018 Sem comentários »

 

Com o objetivo de promover a cultura afro-brasileira e incentivar a independência de mulheres negras, a Organização Gongombira de Cultura e Cidadania, em Ilhéus, abre inscrições para as oficinas gratuitas de Fotografia, Dança, Percussão, Turbantes e Penteados Afro, Encadernações e Projetos Editoriais Artesanais.

As atividades fazem parte da terceira edição do projeto Mãe Ilza Mukalê (MIM III), que acontecerão durante todo o mês de agosto, no Terreiro de Matamba Tombenci Neto, localizado na Avenida Brasil, Alto da Conquista. Para participar, é necessário preencher o formulário disponível no link https://goo.gl/forms/GE2h5KKb6vIkHQhl2 e escolher a oficina que deseja.

No dia 4 de julho, às 15 horas, a fotógrafa Marcela Bonfim irá ensinar técnicas de fotografia profissional utilizando smartphones. A profissional é nacionalmente reconhecida pelo seu trabalho (Re)conhecendo a Amazônia Negra: Povos, Costumes e Influências Negras na Floresta, em que registra o legado da população negra amazônica.

De 6 a 9, será realizada, pela primeira vez, uma oficina de Percussão exclusiva para mulheres, que será lecionada pela percussionista soteropolitana Sanara Rocha, multiartista, produtora cultural e mestranda em Cultura e Sociedade pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Ela propõe, através de exercícios rítmicos práticos, iniciar mulheres no universo da percussão como estratégia de empoderamento.

As oficinas de Encadernações e Projetos Editoriais Artesanais acontecerão de 13 a 31 e serão ministradas respectivamente por Cynthia de Cássia Barra, doutora em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMA) e professora da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) e Juliane Matarelli, bacharel em linguística pela UFMG, que atua como editora, revisora de textos e trabalhará a escrita autobiográfica e o desenvolvimento de um trabalho editorial a partir disto.

No dia 25, às 15 horas, será realizado mais um Zendembás, com roda de conversa sobre autoestima de jovens negros e negras e oficinas de turbantes e penteados afro, com a participação de Dani Jêje e Preta Ashanti, membros da Casa do Boneco, em Itacaré.

Encerrando as atividades do projeto, de 3 a 6 de setembro, acontecerá a oficina de Dança Afro, ministrada por Neide Rodrigues, Makota do terreiro, dançarina e coreógrafa, atual Rainha do Maracatu de Serra Grande, além de já ter participado dos espetáculos Kianga e Malunda.

O projeto também contará com os Encontros da Oralidade, onde Mãe Ilza Mukalê, matriarca do terreiro, receberá convidadas para discutir temas que estão em evidência na sociedade. O primeiro encontro acontecerá no dia 3 (sexta-feira), às 19 horas, com a fotógrafa Marcela Bonfim para discutir sobre “Arte e Ativismo de Mulheres Negras: Empoderamento e Resistência” e contará com uma apresentação da artista Eloah Monteiro, com um show intimista. A entrada é gratuita.

Assunto Relacionado

Comente