Um estudo do Centro de Excelência em Geoquímica do Petróleo (LEPETRO) avaliou a qualidade dos pescados nas zonas costeiras do litoral da Bahia, inclusive de Ilhéus. O parecer técnico, divulgado no final de 2019, concluiu que não foi constatada nos pescados a presença de 16 Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPAs).

 

“Os pescados de Ilhéus apresentam índices seguros para o consumo,” explica o secretário de Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente e Urbanismo, Vinícius Briglia. “As praias de Ilhéus não possuem resíduos de componentes químicos nocivos à saúde humana e à vida marinha”.

“O laudo demonstra que as ações de limpeza das praias foram eficientes no combate e controle do óleo. O relatório assegura a qualidade, além de regularizar a atividade pesqueira na cidade”, diz. Segundo relatório da Seagri, as localidades afetadas pelas manchas de óleo devem ser monitoradas periodicamente.

A pesquisa examinou 71 amostras, sendo 23 coletadas no Litoral Norte e Região Metropolitana de Salvador, e 48 entre o Sul, Baixo Sul e Extremo Sul, incluindo Ilhéus. Os resultados comprovaram que os níveis encontrados em espécies de crustáceos, moluscos e peixes são insignificantes.